Catação

Mais de 15 milhões de pessoas ganham a vida coletando, selecionando, reciclando e vendendo materiais que alguém jogou fora. Atores vitais na economia informal, os catadores de materiais recicláveis proveem amplos benefícios para suas comunidades, seus municípios e o meio ambiente. Em muitos países, os catadores de materiais recicláveis são a única fonte de coleta de resíduos sólidos. No entanto, com frequência eles possuem baixo status social, péssimas condições de vida e de trabalho, e pouco apoio dos governos locais.

Os catadores de materiais recicláveis, conhecidos por sua independência e autonomia, estão cada vez mais motivados a se organizar e a lutar por reconhecimento e por um lugar no interior dos sistemas formais de gestão de resíduos. Eles estão se organizando de muitas maneiras diferentes – cooperativas, associações, empresas, sindicato e microempresas. Alguns estão até mesmo constituindo organizações “somente de mulheres” a fim de confrontar melhor as desigualdades de gênero.

A organização beneficia os catadores de materiais recicláveis uma vez que obtém o seguinte: aumento do status social e da autoestima; melhoria da renda e da qualidade de vida dos membros, em parte pelo controle da ação de intermediários; melhoria das condições de trabalho e da qualidade da saúde; facilitação das redes de desenvolvimento; promoção de relacionamentos institucionais para a contratação de catadores de materiais recicláveis por empresas e instituições locais; prevenção de maus tratos e violência; e eliminação do trabalho infantil na coleta de materiais recicláveis.

Algumas das publicações e ferramentas do Cidades Inclusivas destacadas abaixo ajudam a desenvolver organizações fortes de catadores de materiais recicláveis.