Boletim Informativo do Cidades Inclusivas Setembro 2012

by

Boletim Informativo do Cidades Inclusivas – Setembro 2012

 
 

O projeto Cidades Inclusivas pretende reforçar as organizações de base (OB) de trabalhadores pobres nas áreas de organização, análise política e advocacy, a fim de garantir que os trabalhadores informais urbanos tenham as ferramentas necessárias para se fazer ouvir nos processos de planejamento urbano. Cidades Inclusivas é uma colaboração entre OB de trabalhadores pobres, alianças internacionais de organizações de base e aqueles que apóiam o trabalho de organizações de base.

Acompanhe as postagens regulares do Cidades Inclusivas no Blog Cidades Inclusivas. Também nos acompanhe no Facebook no Projeto Cidades Inclusivas e no Twitter @inclusivecities.

Artigo de destaque

 

Delegação do Cidades Inclusivas Participaram no Fórum Urbano Mundial
De 31 de agosto a 6 de setembro de 2012, uma delegação do Cidades Inclusivas, incluindo trabalhadores informais, organizadores e pesquisadores da Asiye e Tafuleni, da REDLACRE, da StreetNet International da SEWA e da WIEGO participaram do Fórum Urbano Mundial (World Urban Forum) em Nápoles. O Fórum Urbano Mundial é o maior encontro da ONU sobre cidades e questões urbanas e acontece a cada dois anos. A delegação do Cidades Inclusivas chamou a atenção para o fato de que, em grande parte das cidades, a maioria dos trabalhadores está na informalidade e sua contribuição é muito importante. Ao incluir os trabalhadores informais nos planejamentos municipais as cidades se beneficiam nos âmbitos social, econômico e ambiental. Leia mais… >>

tapa

Vendedores Ambulantes

 

Carta aos candidatos à prefeitura das cidades sede da Copa
Um gol para o Brasil! A StreetNet Internacional, sindicatos e organizações sociais pedem aos candidatos à prefeitura das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, que e criem oportunidades de trabalho decente aos vendedores(as) ambulantes. Leia mais… >>

tapa

 

 

Catadores de Material Reciclável

 

Tornando as Lojas de Sucata uma parte da solução
Sendo com frequência desdenhados por enganar os coletores de materiais recicláveis por meio de práticas de negócios injustas, os proprietários das lojas de sucata cumprem, ainda assim, papeis importantes na indústria da reciclagem, os quais não podemos ignorar. Os coletores de materiais recicláveis dependem deles para comprar seus materiais e para lhes dar pequenos adiantamentos / empréstimos, mas eles também sofrem devido à grande arbitrariedade e falta de transparência dos proprietários das lojas. A Coleta e Manejo de Resíduos Sólidos (SwaCH) tem trabalhado recentemente em um projeto que ajudará os proprietários de lojas de sucata e os coletores de materiais recicláveis a trabalhar juntos de modo mais coeso e para benefício mútuo. A campanha foca em duas áreas principais —primeiro, envolver os proprietários de lojas de sucata para que assegurem que não haja em Pune coletores de materiais recicláveis com idades abaixo do permitido; e segundo, criar uma relação de trabalho melhor com os coletores de materiais recicláveis por meio de um acordo mútuo sobre modos justos e éticos de fazer negócios. Leia mais… >>

tapa

Trabalhadores Domiciliares

 

Seminário sobre as Principais Questões Urbanas de Trabalhadores em Domicílio em Kanpur
Em 23 de agosto de 2012, a HomeNet do Sul da Ásia, a HomeNet da Índia e a Hind Mahila Sabah organizaram o workshop, com duração de dois dias, Principais Questões Urbanas dos Trabalhadores em Domicílio de Kanpur. Os participantes do workshop incluíram representantes da HomeNet do Sul da Ásia, da HomeNet da Índia, e redes que fazem parte da HomeNet do Sul da Ásia – especificamente do Camboja, da Tailândia e das Filipinas, onde foram realizados diálogos similares com funcionários e órgãos municipais. Um worskhop semelhante também foi realizado em Dhaka, Bangladesh em junho. Aproximadamente vinte trabalhadores domiciliares de Kanpur participaram deste worskhop, compartilhando seus insights e experiências e aprendendo a respeito das estruturas da HomeNet da Índia e da HomeNet do Sul da Ásia. Os trabalhadores, juntamente com funcionários municipais e estaduais, também conheceram o Estudo sobre as Principais Questões Urbanas dos Trabalhadores em Domicílio no que diz respeito a Preocupações relativas à Subsistência, o qual se iniciou no Projeto Cidades Inclusivas. O estudo vem sendo implementado em 16 cidades de sete países do Sul e Sudeste da Ásia. Até o momento, os resultados têm focado em temas tais como os ligados a eletricidade (eletricidade ilegal, cortes de energia, eletricidade cobrada a índices comerciais, que são mais altos); falta de fornecimento de água; falta de drenagem e saneamento; ausência de transporte público; más condições de habitação; falta de títulos de garantias de posse, migração de outras cidades; e questões de saúde relativas à subsistência dos trabalhadores em domicílio.
Leia mais… >>

tapa

Trabalhadores Informais e Assuntos Legais

 

Projeto de Lei da AeT: o marco conceitual
Embora o foco da Asiye eTafuleni (AeT) se situe no campo do desenho e planejamento urbanos com trabalhadores informais, lidar com assuntos legais tornou-se inevitável. Isto se dá porque os trabalhadores informais operam em espaços públicos urbanos, que são frequentemente reivindicados e/ou pleiteados e são, portanto, domínios inerentemente conflituosos. Além disso, os conflitos legais são agravados por um ambiente de políticas subdesenvolvido e pela interpretação seletiva ou descaso das normas e dos processos públicos essenciais, por parte das autoridades urbanas, no desenvolvimento de projetos.  Por fim, tem-se percebido que os trabalhadores informais carecem de conhecimento sobre direitos e responsabilidades legais. Em resposta a estes desafios relacionados a assuntos legais, a AeT concebeu um marco conceitual Leia mais… >>

tapa

 

Anúncios

 

Website Cidades Inclusivas 
O Projeto Cidades Inclusivas aprimorou, recentemente, seu site na internet, a fim de melhor difundir boas práticas em políticas e planejamento, pesquisa e instrumentos de organização para nossos públicos centrais de planejadores urbanos e formuladores de políticas, funcionários municipais, pesquisadores, trabalhadores e organizadores. Desde seu lançamento, em agosto, o site atingiu a marca de mais de dez mil visitas. Com um blog agora integrado, o site representará uma excelente oportunidade para todos os nossos parceiros exporem suas notícias, eventos, comunicados de imprensa e quaisquer outras mídias. Seremos também capazes de direcionar visitantes para o site do Cidades Inclusivas e para sites parceiros a partir do Facebook e do Twitter, onde temos, somados, mais de quatorze mil seguidores. Muitos destes seguidores são planejadores urbanos, formuladores de políticas, educadores, pesquisadores e organizações que trabalham com pobres urbanos. Os parceiros do Cidades Inclusivas são estimulados a nos enviar notícias regularmente. As notícias podem ser enviadas a demetria.tsoutouras@wiego.org ou a brenda.leifso@wiego.org.

 

tapa

Publicações e Pesquisa

 

Publicações agora disponíveis no Website Cidades Inclusivas:

Em português:

 
Dias, Sonia M..2011. Integração de Trabalhadores Informais na Coleta Seletiva de Recicláveis: o Caso de Belo Horizonte, Brasil. Resumos de Políticas da WIEGO (Políticas Urbanas) No. 4.
 
Goulart de Oliveira, F. e De Paula Antunes Lima, F. 2012. Eficiência e Solidariedade nas Associações de Catadores de Materiais Recicláveis. Working Paper da WIEGO (Políticas Urbanas) No. 22.

 

In English:

 
 
Chen, Martha A. 2012. The Informal Economy: Definitions, Theories and Policies. WIEGO Working Paper No. 1.
 
Chen, M. and D. Doane. 2008. Informality in Asia: A Review. WIEGO Working Paper No. 4.
 
Chen, M. and G. Raveendran. 2011. Urban Employment Trends in India: Recent Trends and Patterns. WIEGO Working Paper No. 7.
 
 
Heintz, James and Imraan Valodia. 2008. Informality in Africa: A Review. WIEGO WorkingPaper No. 3.
 
Herrera, J., Kuépié, M., Nordman, C., Oudin, X. and F. Roubaud. 2012. Informal Sector and Informal Employment: Overview of Data for 11 Cities in 10 Developing Countries. WIEGO Working Paper No. 9.
 
Kumar, Randhir. The Regularization of Street Vending in Bhubaneshwar, India: A Policy Model. WIEGO Policy Brief (Urban Policies) No. 7.
 
Lund, Frances. 2009. Social Protection, Citizenship and the Employment Relationship. WIEGO Working Paper (Social Protection) No. 10.
 
Lund, Frances and Anna Marriott. Occupational Health and Safety and the Poorest. WIEGO Working Paper No. 20.
 
 
 
Spooner, Dave and Celia Mather. 2012. Promoting the ILO Home Work Convention (C177) and the Rights of Homeworkers: A Manual for Workers’ Educators and Facilitators. Produced by the Global Labour Institute for HomeNet South Asia.
 
Tokman, Victor. 2010. Domestic Workers in Latin America: Statistics for New Policies. WIEGO Working Paper (Statistics) No. 17.

 

En español:

De Brito, Deia. 2012. Dios es mi despertador. Serie de WIEGO, Vida de los trabajadores No. 1.
 
Fernández, Lucia. 2012. Paisajes-basura: Dinámicas y Externalidades Territoriales del Reciclaje en Montevideo, Uruguay. Documento de Trabajo de WIEGO (Políticas Urbanas) No. 25.
 
 

 

 

tapa